AdoteUmCara.com.br

As 5 obras de arte mais eróticas da história

Você quer saber um segredo sobre obras de arte? Shhh! Não conte a ninguém, mas elas são mais sensuais do que você imagina. Ah sim! Muito antes dos nudes se tornarem moda, artistas como Picasso, Hokusai e Schiele trouxeram intimidade e sexualidade às telas, chocando alguns e despertando os sentidos de outros.

Intrigados com este tópico, nós da AdoteUmCara decidimos preparar nossa própria coleção. Assim nasceu esta pequena galeria, na qual apresentamos cinco obras de arte extremamente sensuais e provocativas.

Cupido e Psique, Antonio Canova

Olhando a escultura clássica do artista veneziano Antonio Canova, tem-se a impressão de que o poder do amor traz os mortos de volta à vida em um grande hino artístico de desejo. Canova é talvez o único artista que consegue dar às obras de mármore um caráter exclusivamente sensual. Nesta escultura, os corpos nus de Cupido e Psique estão cheios de erotismo, e seu terno, mas luxurioso abraço é a prova de que o amor conquista tudo.

Psiquê reanimada por um beijo do Amor, Antonio Canova, 1793

Júpiter e Io, Correggio

Datado de cerca de 1530, este quadro do pintor italiano Correggio refere-se a um conhecido mito grego no qual o deus Júpiter se transforma em uma névoa azul para evitar a suspeita da infidelidade de sua esposa. Entretanto, o pintor transforma este mito em uma fantasia erótica. Uma mulher nua é retratada no abraço de um fantasma azul, que a acaricia. A heroína se submete impotente a estas carícias, e o prazer celestial é pintado em seu rosto.

Júpiter e Io, Correggio, 1532

O Sonho da Mulher do Pescador, Hokusai

A natureza erótica desta pintura não deixa ambigüidade. A pintura de Hokusai Katsushika, que também é um excelente exemplo da arte shunga japonesa, retrata a esposa de um pescador sendo capturada por dois polvos enquanto colecionava pérolas. O maior dos dois polvos envolveu o corpo pálido e nu, dando prazer erótico à heroína.

The Fisherman's Wife's Dream, Hokusai, 1814

Amantes masculinos e femininos, Egon Schiele

Schiele retratou homens e mulheres não apenas com desejo e adoração, mas também com uma incrível abertura que dá à sua arte um tom extremamente erótico. Neste caso, o diretor austríaco optou por retratar um casal. A representação de dois corpos nus entrelaçados esconde não apenas paixão e tensão erótica, mas também devoção e ternura.

Amantes masculinos e femininos, Egon Schiele, 1917

As senhoritas de Avignon, Pablo Picasso

Picasso era obcecado por mulheres e sexo. Do início ao fim de sua carreira, ele criou obras eróticas que eram tão intensas quanto controversas. Isto é demonstrado por sua famosa pintura primitiva que retrata cinco trabalhadoras nuas em um bordel de Barcelona. Com suas formas femininas não convencionais e seus olhares penetrantes, o trabalho é uma versão proto-cubista do erotismo.

As senhoritas de Avignon, Pablo Picasso, 1907

Frenesi da Exultação, Władysław Podkowiński

Esta obra emblemática de Podkowiński é sem dúvida a mais famosa obra de nudez da arte polonesa. A composição monumental retrata uma mulher nua de cabelos claros sobre um agitado cavalo preto. A heroína monta o animal descalça, abraçando seu pescoço, seus olhos fechados e seu pêlo fluente entrelaçado com a crina do cavalo. Até hoje, permanece um mistério quem foi a mulher retratada. No entanto, sabe-se que na manhã de 24 de abril de 1894, pouco antes do final programado da exposição, Podkowinski apunhalou seu trabalho 16 vezes.

Frenesi da Exultação, Władysław Podkowiński, 1893

Se gostou deste artigo, você vai gostar também de:

9 Contas do Instagram com ilustrações que vão aumentar a temperatura

back to top